É mentir dizer que o Pai Natal existe?

28.11.14
Será que estou a mentir quando falo ao meu filho do Pai Natal? Ou da fada dos dentes?
A bem da verdade não lhe estás a dizer uma verdade, pois não? E martirizas-te com isso porque o teu princípio é contar sempre toda a verdade aos teus filhos.
Eu sei, percebo bem a questão. Como é que eu resolvi esta questão, com os meus?

Nós temos Pai Natal - não esmiucei a questão do Menino Jesus não sei porquê [acho que não calhou] e sinceramente não me preocupei com a questão da mentira. Essa é uma não questão para mim. 

O Pai Natal para nós é imaginação, fantasia, magia. Eu escrevi ao Pai Natal durante 30 e muitos anos porque gostava de lhe escrever, porque fazia sentido para mim, porque dava magia à minha vida. No envelope colocava sempre 'Ao Pai Natal'. E cheguei a receber uma reclamação porque a carta ainda não tinha chegado :)

Não vejo esta questão como 'Estou ou não a mentir' e sim 'estou a criar ou não magia cá em casa?'.
E eles gostam de acreditar no Pai Natal.Os meus gostam :)

Como é que vai ser depois? Não sei. Podem ficar tristes, zangados ou com sorriso nos lábios a dizer 'eu bem que me parecia... eu sabia!'. Não sabes nem podes controlar isso. It's up to you !

5 comentários:

  1. Nós não fazemos Pai Natal. Sim, para mim é mentir, mas mais do que a mentira aquilo que me incomoda é a perversão da relação dos presentes recebido com o "portal mal ou bem". Porque de facto os meninos não recebem presentes na sequência do seu "comportamento" e há meninos que não recebem presentes... Além disso, eu passo muito tempo a pensar nos meninos quando lhes dou presentes, e não gosto que eles não saibam que não fui eu. Gosto que eles saibam que eu pensei neles e escolhi cada presente a pensar neles.

    ResponderEliminar
  2. Olá Magda
    A minha filha tem 6 anos e sabe desde sempre que o Pai Natal somos nós, a família. Não lhe digo que existe nem que não existe, quando ela pergunta digo apenas que o Pai Natal é a mãe, o pai, ... O meu irmão costuma vestir-se de Pai Natal para distribuir os presentes e a minha filha dizia toda orgulhosa que "O Pai Natal é o meu tio!). Muito giro! O magia acontece na mesma sem qualquer necessidade de mentir. Cria-se magia na imaginação das crianças mesmo com a verdade e sem esconder nada. O meu irmão mente ao próprio filho sobre o Pai Natal e não se desmascara. No ano passado ficaram um bocado aborrecidos de eu não mentir e a minha filha andar a dizer a verdade ao primo, que afinal "O Pai Natal é o tio D!" Tem sido muito divertido ver como a verdade é afinal tratada como se fosse algo de errado e a mentira a coisa certa! Ah Ah Ah.
    Nós gostamos da verdade. Apreciamos o Natal, a teatralidade associada ao Pai Natal, e aproveito a ocasião para oferecer algum presente de maior valor material, ensinando assim que o consumo é para ser consciente e é necessário esperar os momentos adequados. Não vejo qualquer motivo para mentir, uma vez que em verdade também é possível bons momentos de diversão em família.

    ResponderEliminar
  3. Olá Magda, deixo aqui a nossa realidade... é bom poder acreditar!

    http://msdamor.blogspot.pt/2014/12/a-nossa-verdade-sobre-o-pai-natal.html

    ResponderEliminar
  4. Era Noite de Natal!!!
    Nesse Natal, tal como nos outros que se seguiram por muitos anos, a seguir ao tradicional bacalhau, os pequenos, Nininha, Bruno e Mafalda, cantavam e representavam para os avós!!!
    Os Pais, esses andavam entretidos a colocar os presentes nos sapatinhos colocados, com muita expectativa minutos antes pela pequenada, que durante muitos anos nunca desconfiou de nada!!!
    Mas aquele Natal, foi diferente...
    O dinheiro, não abundava, por isso os presentes tinham que ser utéis e muito bem pensados... Havia os brinquedos, claro, mas as camisolas, os sapatos, as meias e mesmo as cuecas eram recebidos com a mesma satisfação que uma boneca, um comboio, um jogo, um livro....
    Mas aquele Natal foi diferente...
    A Mafalda era a mais pequenita e dormia ainda no berço, no quarto dos pais. A Nininha e o Bruno, um pouco mais velhitos, dormiam no seu quarto, mas ainda não tinham caminhas... Os seus colchões estavam no chão...
    Mas era Noite de Natal!!! Meia-Noite em ponto, e a pequenada vai a correr à sala ver o que o Pai Natal lhes tinha deixado no sapatinho!!!
    Mas aquele Natal foi diferente e os sapatinhos estavam vazios, tal e qual como os pequenos os tinham deixado...
    "Talvez o Pai Natal só venha amanhã"- disse algum dos adultos.
    Mas já é tarde e temos que ir dormir... amanhã de manhã voltamos aqui para espreitar os sapatinhos.
    Os pequenitos estavam um bocadinho tristes, mas estavam confiantes, que o Pai Natal, voltaria amanhã!
    Abriram a porta do quarto para irem vestir os pijamas e......
    UAU!!!!
    A janela daquele quarto, num 2º andar estava aberta, os estores todos para cima... E três caminhas de madeira, alinhadas. Duas colchas azul turquesa e uma azul escuro e em todas elas um presente...
    Que fantástico que era o Pai Natal!!! E forte!!!
    E durante muitos anos me perguntei, como é que ele tinha conseguido subir com as três camas pela janela???
    E durante outros tantos me perguntei, como é que os meus Pais tinham conseguido esconder aquilo tudo???
    Esta é a memória mais antiga que eu tenho, da Magia do Natal!!! Eu tinha 2 anos e 36 anos depois ainda me emociono ao recordá-la!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh pa!! Até eu estou emocionada! Fogo!! E como foi? Como conseguiram? Obrigada, muitoobrigada pela partilha1 Até me arrepiei!

      Eliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share