Le bonheur à portée de main...

3.1.13


Quem frequenta os meus workshops ou faz coaching comigo sabe que há uma frase que me acompanha sistematicamente. É uma frase do Sartre que diz qualquer coisa como 'não importa o que fizeram de nós, importa sim aquilo que fazemos com o que fizeram de nós.'









E se este fosse um dos teus mantras para 2013?
Escreve-o no telemóvel, no teu blogue, no teu facebook! Copia esta imagem!
















Sabes, a felicidade é uma questão de atitude. Não é um fim em si, é um caminho. E é uma questão de atitude porque é uma decisão consciente.






Ninguém nem nada me podem fazer mais felizes. Só eu e a forma como eu vejo e decido olhar para as coisas. A minha felicidade não está nas mãos dos outros e não pode estar indexada às asneiras ou às boas decisões que os outros tomam. É claro que essas asneiras ou boas decisões conseguem influenciar mas isso acontece porque eu permito também. Repara: Se eu não estou bem numa determinada relação e mantenho a relação é porque o preço a pagar por ficar compensa mais do que o preço de sair. Será que me faço entender?


Imagina aquela mulher que sempre viveu com o marido que a trata mal e que é infeliz no casamento. Primeiro diz que não se separa por causa dos filhos. Depois para não dar o desgosto aos pais que já são velhinhos... e depois porque já acha que ninguém se separa aos 60, diz ela. E esteve a viver uns 40 anos assim, infeliz. Mais: decide continuar por mais uns 30, assim! O preço a pagar para sair da relação é, para ela, demasiado alto. Ela tem mais a ganhar ficando, do que saindo. Talvez porque já sabe o que a casa gasta. Mesmo que chore todos os dias mas ficar sozinha, ao fim deste tempo todo, recomeçar de novo, é demasiado assustador. Por isso paga o preço – no final, compensa.






Como sabes, uma das questões que coloco aos meus entrevistados é 'O que é que fazes todos os dias para seres mais feliz?'. E esta questão não é ingénua. Ser feliz dá trabalho. É uma decisão consciente. E tem anexa a si uma série de comportamentos que eu decido tomar e fazer todos os dias nesse sentido. Podem ser correr, escrever, ser mais gentil, tirar um curso, dar graças... cada um sabe de si. E eu sei de mim e o que me faz feliz. E decido e quero sê-lo!






Portanto se queres mesmo ser mais feliz, siga! Não vale a pena relembrares e ficares presa no teu passado.O teu passado é o que é. Foi o teu caminho para chegares hoje onde estás. O caminho que farás daqui para a frente é o TEU caminho, aquele que decidires que queres fazer, conscientemente. Não por causa dos outros mas por causa de ti.






Mais sobre felicidade AQUI e AQUI







Site AQUI


Facebook AQUI


Blogue AQUI

7 comentários:

  1. Adorei a frase, adorei o texto, inspirou-me muito! Amanhã venho cá outra vez lê-lo porque o sono já começa a atacar e quero ler isso direitinho. Obrigada! :)

    ResponderEliminar
  2. A minha teoria é confusão geral!!!!!
    Como é que ela que ela sabe que ganha mais ficando do que saindo ???? como é que compensa???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Raquel,
      no momento de uma decisão, quando optamos por fazer A em vez de B, isso quer dizer que preferimos A a B. E mesmo que possamos dizer que até queríamos B, no final, a decisão que nos deixa mais confortável é a A? Porquê? porque é a que pesou mais, é a que nos deixa dormir melhor, a que nos cria menos ansiedades, e aquela que NÂO NOS TIRA DA ZONA DE CONFORTO.
      Neste caso particular e sem generalizar, as pessoas optam por ficar nas relações porque têm receio da mudança, do desconhecido, do recomeçar ou do olhar dos outros. Ficar naquela relação, mesmo que seja má, é preferível porque já se sabe o que a casa gasta. Compensa nesse sentido - o risco para aquela pessoa é menor.
      Será que respondi?

      Eliminar
  3. A minha teoria é confusão geral!!!!!
    Como é que ela que ela sabe que ganha mais ficando do que saindo ???? como é que compensa???

    ResponderEliminar
  4. Muito bom! Uma grande frase ... e um belíssimo texto. Também ando em (re)construção!
    bom ano novo (novinho ...)

    ResponderEliminar
  5. que bela adaptação das palavras de Satre!
    pois então, que sejamos felizes!!! eu sei que neste momento me sinto muito feliz... e vou querer ser ainda mais...!
    será que isto de sermos felizes se pode tornar um vício...!?

    beijinhos da costa alentejana Mum, Xana

    ResponderEliminar
  6. Na idade adulta comecei a ter consciência que a felicidade não é um fim.Comecei a achar que seriam pequenos momentos, do dia a dia, ao longo da nossa vida.Depois de ler esta sua reflexão também eu reflecti à cerca disto e faz todo o sentido, é uma atitude, talvez dependa da nossa predisposição para a vida.Mas não é fácil.Um dia uma psicóloga perguntou-me porque tinha eu medo de ser feliz, não soube responder até hoje.
    Sim, mete medo, muito medo e sobretudo dá trabalho, muito trabalho.
    Obrigada
    Beijinho

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share